Estudante de 14 anos ensina professores a dar aula pela internet em Taquaral, SP

Kenay Caires viu dificuldade da mãe professora e adaptou uma plataforma de chat ao vivo para facilitar a vida de educadores, que até então trabalhavam só com vídeos pré-gravados e envio de atividades. Filho de professora de Taquaral desenvolve programa para ajudar a mãe a ensinar Aos 14 anos, o estudante Kenay Francisco Camargo Caires trocou de lugar com os professores da rede municipal de Taquaral (SP) para ensiná-los a dar aulas pela internet. O adolescente otimizou uma plataforma de chat ao vivo para facilitar a vida dos mestres durante a pandemia de coronavírus. "Ajudar minha família e minha escola, que me ensinou, é uma coisa muito legal", diz Kenay. "Claro que nada é fácil, então tive que ver o que podia fazer, mudar, e fiz. Ajeitei tudo." A inspiração do jovem surgiu dentro de casa. Com 17 anos de sala de aula alfabetizando crianças, a mãe dele, Rejeane Aparecida Camargo Caires, nunca havia dado aula pela internet e não conseguiu se adaptar à nova realidade sozinha. "Fiquei desesperada, porque a gente tinha que buscar um novo caminho. Mexer com tecnologia não é para qualquer um. Professor, por mais que a gente procure aprender, a tecnologia é uma coisa que a gente peca bastante", diz Rejeane. Mãe dá aula pela internet com ajuda do filho adolescente em Taquaral (SP) Chico Escolano/EPTV Ao ver as dificuldades que a mãe enfrentava, o adolescente decidiu pôr em prática os conhecimentos em informática e programação, adquiridos principalmente com o hobby do mundo dos jogos, que ele sonha transformar em trabalho. "Vi ela quebrando a cabeça com vídeo, tirando foto, desenhando, escrevendo, aí eu disse ‘mãe, fiz isso aqui e posso melhorar se quiser’, daí ela gostou e funcionou para ela", relembra Kenay, que está no 9º ano do ensino fundamental e estuda criação de jogos. Com pouco mais de 2,8 mil habitantes, Taquaral tem uma escola estadual, que segue protocolos de ensino do governo de São Paulo, e outra municipal, que atende às orientações da Prefeitura e, agora, passou a utilizar a plataforma adaptada por Kenay para as aulas à distância. "Para os professores, o contato com o aluno é de suma importância, porque a gente pega confiança. Agora, com a tecnologia, tem a oportunidade de voltar este vínculo. Só de você ligar a câmera e o aluno estar do outro lado da telinha, conversando ao vivo, ajuda muito", avalia Rejeane. Adolescente de 14 anos ensina professores de Taquaral (SP) a dar aula pela internet Chico Escolano/EPTV A diretora do departamento de educação de Taquaral, Micheli Barboza, organizou uma palestra para os 32 professores da escola aprenderem com Kenay a utilizar a plataforma, acessada pelas redes sociais, com compartilhamento de conteúdo via WhatsApp e aulas gravadas para quem não assiste ao vivo. "Os professores estavam apreensivos, com muita dificuldade, e o Kenay veio trazer uma contribuição muito grande. Ele trouxe uma facilidade para que os professores pudessem ficar um pouco mais tranquilos", diz Micheli. A diretora deixou a cargo de cada professor escolher se continuaria enviando atividades e vídeos pré-gravados aos alunos e familiares, como tem sido feito desde o início da pandemia, ou se iria aderir à plataforma otimizada por Kenay. O impacto no aprendizado já é perceptível, segundo ela. "A avaliação que a gente tem é de êxito. Nas salas onde está sendo utilizada essa ferramenta, tem a grande maioria de participação, tanto dos pais quanto dos alunos, e isso se dá em tempo real. Eles conseguem matar a saudade, tirar as dúvidas, então é muito positivo", diz. Aficionado por jogos e programação, estudante de 14 anos adaptou sistema para professores de Taquaral (SP) darem aula pela internet Chico Escolano/EPTV Após meses sem aulas ao vivo, o pequeno Carlos, de 7 anos, estava muito desanimado de fazer as tarefas passadas pela professora. Com as aulas em tempo real, ele voltou a ter interesse em aprender a calcular a tabuada e a escrever. "Fica bem mais fácil para eles. Nesta fase de aprender a ler e a escrever, faz muita diferença. Eles veem a professora, ficam mais à vontade, perguntam, conversam, aí ficam melhores as atividades", diz a mãe de Carlos, Michaela Silvestre. Aluno de 7 anos conversa com a professora pelo celular em Taquaral (SP) Chico Escolano/EPTV Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca

Estudante de 14 anos ensina professores a dar aula pela internet em Taquaral, SP

Kenay Caires viu dificuldade da mãe professora e adaptou uma plataforma de chat ao vivo para facilitar a vida de educadores, que até então trabalhavam só com vídeos pré-gravados e envio de atividades. Filho de professora de Taquaral desenvolve programa para ajudar a mãe a ensinar Aos 14 anos, o estudante Kenay Francisco Camargo Caires trocou de lugar com os professores da rede municipal de Taquaral (SP) para ensiná-los a dar aulas pela internet. O adolescente otimizou uma plataforma de chat ao vivo para facilitar a vida dos mestres durante a pandemia de coronavírus. "Ajudar minha família e minha escola, que me ensinou, é uma coisa muito legal", diz Kenay. "Claro que nada é fácil, então tive que ver o que podia fazer, mudar, e fiz. Ajeitei tudo." A inspiração do jovem surgiu dentro de casa. Com 17 anos de sala de aula alfabetizando crianças, a mãe dele, Rejeane Aparecida Camargo Caires, nunca havia dado aula pela internet e não conseguiu se adaptar à nova realidade sozinha. "Fiquei desesperada, porque a gente tinha que buscar um novo caminho. Mexer com tecnologia não é para qualquer um. Professor, por mais que a gente procure aprender, a tecnologia é uma coisa que a gente peca bastante", diz Rejeane. Mãe dá aula pela internet com ajuda do filho adolescente em Taquaral (SP) Chico Escolano/EPTV Ao ver as dificuldades que a mãe enfrentava, o adolescente decidiu pôr em prática os conhecimentos em informática e programação, adquiridos principalmente com o hobby do mundo dos jogos, que ele sonha transformar em trabalho. "Vi ela quebrando a cabeça com vídeo, tirando foto, desenhando, escrevendo, aí eu disse ‘mãe, fiz isso aqui e posso melhorar se quiser’, daí ela gostou e funcionou para ela", relembra Kenay, que está no 9º ano do ensino fundamental e estuda criação de jogos. Com pouco mais de 2,8 mil habitantes, Taquaral tem uma escola estadual, que segue protocolos de ensino do governo de São Paulo, e outra municipal, que atende às orientações da Prefeitura e, agora, passou a utilizar a plataforma adaptada por Kenay para as aulas à distância. "Para os professores, o contato com o aluno é de suma importância, porque a gente pega confiança. Agora, com a tecnologia, tem a oportunidade de voltar este vínculo. Só de você ligar a câmera e o aluno estar do outro lado da telinha, conversando ao vivo, ajuda muito", avalia Rejeane. Adolescente de 14 anos ensina professores de Taquaral (SP) a dar aula pela internet Chico Escolano/EPTV A diretora do departamento de educação de Taquaral, Micheli Barboza, organizou uma palestra para os 32 professores da escola aprenderem com Kenay a utilizar a plataforma, acessada pelas redes sociais, com compartilhamento de conteúdo via WhatsApp e aulas gravadas para quem não assiste ao vivo. "Os professores estavam apreensivos, com muita dificuldade, e o Kenay veio trazer uma contribuição muito grande. Ele trouxe uma facilidade para que os professores pudessem ficar um pouco mais tranquilos", diz Micheli. A diretora deixou a cargo de cada professor escolher se continuaria enviando atividades e vídeos pré-gravados aos alunos e familiares, como tem sido feito desde o início da pandemia, ou se iria aderir à plataforma otimizada por Kenay. O impacto no aprendizado já é perceptível, segundo ela. "A avaliação que a gente tem é de êxito. Nas salas onde está sendo utilizada essa ferramenta, tem a grande maioria de participação, tanto dos pais quanto dos alunos, e isso se dá em tempo real. Eles conseguem matar a saudade, tirar as dúvidas, então é muito positivo", diz. Aficionado por jogos e programação, estudante de 14 anos adaptou sistema para professores de Taquaral (SP) darem aula pela internet Chico Escolano/EPTV Após meses sem aulas ao vivo, o pequeno Carlos, de 7 anos, estava muito desanimado de fazer as tarefas passadas pela professora. Com as aulas em tempo real, ele voltou a ter interesse em aprender a calcular a tabuada e a escrever. "Fica bem mais fácil para eles. Nesta fase de aprender a ler e a escrever, faz muita diferença. Eles veem a professora, ficam mais à vontade, perguntam, conversam, aí ficam melhores as atividades", diz a mãe de Carlos, Michaela Silvestre. Aluno de 7 anos conversa com a professora pelo celular em Taquaral (SP) Chico Escolano/EPTV Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca